JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.
Fazenda Água Santa, Chácara 21 - Núcleo Rural Oeste - Ceilândia Norte/DF
É POSSÍVEL VIVER SEM DROGAS/ÁLCOOL
Comunidade Terapêutica: Internação de alcoólatras pelo SUS em Brasília
#institutoabbapai #comunidadeterapeutabrasilia
Comunidade-Terapeutica-ABBA-PAI-Comunidade-Terapêutica-Internação-de-alcoólatras-pelo-SUS-em-Brasília

É importante levar em conta que a internação é apenas um dos métodos possíveis de tratamento contra a dependência química. Nem todos os que sofrem com esse problema precisam ser internados, e existe um movimento crescente dos especialistas em dependência de usar este método o mínimo possível, em favor de intervenções que não isolem o alcoolista do seu círculo familiar e da sua rotina normal.

Ao mesmo tempo, há casos em que a internação representa um fator de segurança a mais, podendo inclusive salvar vidas. Porque, além da distância do álcool, há profissionais preparados (psicólogos, psiquiatras, terapeutas ocupacionais, entre outros) para atender a qualquer momento que o paciente precisar. Para os que precisam, são reconhecidos três tipos:

  • Voluntária: o próprio Alcoólatra toma a decisão de se internar. Neste caso, ao dar entrada na clínica, ele assina um termo em que expressa que é esta a sua vontade.
  • Involuntária: a internação é pedida por um familiar ou representante legal do dependente, sem ele saber ou concordar com esta medida. Alguns médicos questionam esta maneira de lidar porque internar um Alcoólatra contra a vontade dele não garante que ele irá aderir ao tratamento.
  • Compulsória: é aquela exigida por um juiz, por conta de um processo criminal ou da recomendação de um psiquiatra que tenha examinado a pessoa. É usada, por exemplo, em casos de adolescentes com problemas de dependência em conflito com a lei, e pode envolver o uso de força policial.

Sobre a lei

A Lei 10.216/2001, também conhecida como Lei Antimanicomial, diz que é possível, sim, mas só nestes casos extremos:

  • A pessoa representa um perigo para si ou para outros;
  • Pode morrer ou ter danos irreversíveis pelo abuso da substância psicoativa, seja pelos problemas que ela causa, seja porque está ameaçada de morte pelo seu envolvimento com crimes ou criminosos.

Como conseguir uma internação de alcoólatras pelo SUS?

O procedimento é o seguinte: o familiar de primeiro grau ou representante legal procura um psiquiatra ou especialista em dependência química que emita um laudo médico recomendando a internação. Este profissional precisa ser reconhecido pelo Conselho Regional de Medicina do estado em que o Alcoólatra será internado.

Em seguida, pode-se procurar um Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS), de preferência um AD, que indica que é especializado em Álcool e Drogas, ou numa clínica particular reconhecida oficialmente. Em seguida, o dependente é internado. O dono do estabelecimento que internar um Alcoólatra contra a vontade dele tem a responsabilidade de notificar o Ministério Público do procedimento em até 72 horas, bem como de determinar o tempo do tratamento, se esse for necessário, e comunicar ao mesmo órgão quando o alcoolista tiver alta.

Todas as internações e altas deverão ser informadas ao Ministério Público, à Defensoria Pública e a outros órgãos de fiscalização do Sisnad em 72 horas.

A lei estabelece ainda que, independentemente do tipo de internação, deverá ser montado um Plano Individual de Atendimento (PIA), elaborado com a participação dos familiares.

Comunidades de acolhimento

O acolhimento em comunidades terapêuticas será sempre por adesão voluntária. Elas devem oferecer ambiente residencial propício à promoção do desenvolvimento pessoal e não poderão isolar fisicamente a pessoa. O ingresso nelas dependerá sempre de avaliação médica. Usuários que possuam comprometimentos de saúde ou psicológicos de natureza grave não poderão ficar nessas comunidades.

Qual a importância da comunidade terapêutica no tratamento para dependentes químicos

  • Ambiente controlado: A Comunidade Terapêutica Instituto ABBA PAI oferece um ambiente controlado onde os acolhidos podem se concentrar em sua recuperação sem as distrações e tentações do mundo exterior.
  • Acesso a profissionais especializados: A Comunidade Terapêutica Instituto ABBA PAI possui uma equipes multidisciplinares de profissionais, incluindo médicos, psicólogos, terapeutas ocupacionais e conselheiros, que podem trabalhar juntos para tratar a dependência química e os transtornos mentais.
  • Programas de tratamento personalizados: A Comunidade Terapêutica Instituto ABBA PAI oferece programas de tratamento personalizados para atender as necessidades individuais dos acolhidos.
  • Apoio contínuo: A Comunidade Terapêutica Instituto ABBA PAI oferece acompanhamento pós-tratamento para ajudar os pacientes a manter seus progressos e evitar recaídas.
  • Ajuda a lidar com o estigma: A Comunidade Terapêutica  Instituto ABBA PAI ajuda os acolhidos a lidar com o estigma associado à dependência química e aos transtornos mentais, e a se sentirem mais confortáveis em pedir ajuda.

Comunidade Terapêutica ABBA PAI

A Comunidade Terapêutica Instituto ABBA PAI, foi fundado em 2012 como objetivo ser tornar referência no acolhimento de dependentes químicos e alcoólicos. Disponibilizamos 84 leitos para atender usuários de substâncias psicoativas (álcool e outras drogas), do sexo masculino com idade entre 18 e 60 anos, oferecendo acomodações amplas e confortáveis.

Nosso programa de acolhimento, baseado nos 12 Passos de Narcóticos Anônimos e Alcoólicos Anônimos, busca desenvolver uma nova maneira de viver, com alegria, sem necessidade do uso de substâncias.

A rotina diária do Instituto ABBA PAI, envolve atividades que incentivam o desenvolvimento de uma vida saudável, com disciplina, horários, regras e normas que visam conduzir o acolhido a se auto disciplinar e valorizar o tempo, as pessoas e os recursos que estão ao seu redor. Como chegar? clique aqui

Entre em contato hoje mesmo e tire todas suas duvidas com um de nossos profissionais especializados em dependência química e alcoólica. É possível viver sem drogas, perder o desejo de usar e encontrar uma nova maneira de viver!